El mundo de equipaje

Para: PAV

O mundo da bagagem viaja para o passado

 

El mundo de equipaje. Histórias de 27 Viajantes É o primeiro livro publicado na coleção editorial Viajar para o passado

Você pode comprá-lo através do seguinte formulário. Certifique-se de incluir um número de contato para facilitar a entrega. Para pedidos fora da Espanha, entre em contato conosco para obter o preço final em vap@viajesalpasado.com:

bagagem World Book - Viagens anteriores

Preço final com frete



O mundo cabe em uma mala, vai sim. Sempre haverá um incrédulo que pensa que não é possível colocar as cimeiras de Guadarrama em sua bagagem, a beleza da Toscana, a magia do Nilo ou o território do leopardo no Karakorum. Mas é claro que é possível. E muito espaço, muito espaço. Tanto quanto abrir espaço para as estrelas cadentes de Ouagadogou, o baile de máscaras do Cairo, os sentinelas da estrada angolana e o raio-x sentimental de Antananarivo, a capital de Madagascar.

Claro que alguns ainda duvidam. Confesso que nós, no princípio, também. Mas somente até entendermos que, antes de partir para a viagem, além de nos torturar com o que colocar na mala (inevitavelmente, você sempre esquece algo) você deve reservar algum espaço para transportar o mundo em sua bagagem, a curiosidade necessária para enfrentar horizontes e fronteiras sem preconceitos estúpidos ou mais rótulos que os das garrafas de vinho e cervejas que coletamos ao longo do caminho. Naquele dia, Javier, Daniel e um servidor, percebemos que sim, que o mundo inteiro se encaixa em uma mala.

Sonhamos em colocar o mundo inteiro em, nos deixando nada, com seu povo e suas histórias, com seus caminhos de pedra e lama e seus horizontes de sóis sempre diferentes

E sonhamos em colocá-lo inteiro, nos deixando nada, com seu povo e suas histórias, com seus caminhos de pedra e lama e seus horizontes de sóis sempre diferentes. Do Baixo Zambeze para Sumatra; das estepes frias da Sibéria a Choquequiraw, Machu Picchu desconhecido; do fim do mundo encantado de Baracoa à mítica prisão de Cape Horn ou Mae Ra Moe sem grades, Na Tailândia; do tempo circular de Manono, e Samoa, ao túmulo de Shackleton na Antártica.

Surpreendentemente, apesar da mistura de paisagens e da sucessão de looks espalhados pelo mundo, cada um tinha seu lugar e mantinha sua ideosincrasia intacta. Isso nos encorajou a continuar enchendo a mala. Porque não queríamos parar de incluir a história dos indígenas que mudaram o Google Earth; o chocalho sensual do trem entre Kandy e Nuwara Eliya, e Sri Lanka; O beijo de Deus aos pés dos Annapurnas; o misterioso séquito de Papua; os ecos da morte de Jodhpur, na Índia; os sons de uma floresta de faias no Irã; as palavras da Ester Negra de Chiloé; os ecos da utopia da Tata Vasco em Michoacán; as estrelas que estão morrendo na Etiópia e os segredos dos Manu no Peru.

Contamos o mundo em mais de mil relatórios através dos olhos de muitas pessoas. Ainda havia espaço em nossa bagagem

Mas havia muito mundo para cobrir e apenas três olhares para retratá-lo. Nós os encontramos poucos. Precisávamos de mais. Agora que sabíamos, Por mais surpreendente que possa parecer, que o mundo inteiro se encaixa em uma mala, sentimos a necessidade de olhar para todas as janelas possíveis. Havia uma escolha. Nestes mais de quatro anos em www.viajesalpasado.com contamos o mundo em mais de mil relatórios através dos olhos de muitas pessoas. Ainda havia espaço em nossa bagagem.

E nós entramos em contato com Sebas e Eduardo, e com Vicente e Marián, com Enrique, com Maria, com Cristina, com Mayte, Gonzalo e Miquel. Também com Juanra, Eduardo, Nacho, Álex e Juancho. Y, como não, com Gerardo, Josep M., Olga, Diego, Alicia, Goyo, Nacho, Laura e Raúl. E todo mundo acreditava que sim, que o mundo que eles viram, quem viveu e quem escreveu em VaP cabia em uma mala, mesmo se você tivesse que apertar um pouco.

Todos acreditavam que sim, que o mundo que eles viram, viveu e escrito em VaP cabia em uma mala, mesmo se você tivesse que apertar um pouco

Nenhuma condição definida, nenhum documento teve que ser assinado. Palavra, como anteriormente, foi mais que suficiente. E esta manhã, enquanto alguém lê essas linhas, Eu vou a caminho de uma gráfica onde eles disseram que sim, que eles vão abrir minha mala para que eu possa dar uma última olhada antes de todas essas viagens, essas histórias contadas como nunca antes, “em poeira e chuva, no sol e no ar, em línguas indecifráveis ​​e aldeias perdidas”, transformar em papel. E o milagre de um mundo inteiro embalado em uma mala é consumado. O mundo, Bagagem.

Pesquisa realizadas:

  • Compartilhar

Comentários (15)

  • Piso

    |

    Quero abrir a mala e ver o mundo sentado confortavelmente na minha cadeira, veja através dos seus olhos, andar com os pés, e me apresentar a essas emocionantes viagens que venho lendo há algum tempo, obrigada Ricardo. Eu amo suas histórias. Vai ser um livro fantástico. Assim que estiver à venda, quero uma cópia. Saudações Ricardo.

    Resposta

  • Juancho

    |

    Outro passo a montante. Parabéns Ricardo, Java, Dani. Por estar, por sonhar e por fazê-lo. E obrigado por me deixar um canto. Às vezes, ter pouco espaço é um luxo, se tudo o resto é compartilhar com outros looks. Avise-me quando o mundo da mala estiver disponível!!!

    Resposta

  • ricardo Coarasa

    |

    Obrigado Patro. Isso é o que, viajar com você. O livro estará à venda nos próximos dias. Juancho, você disse isso, estamos um pouco apertados, mas estamos. Seu blog de trekking em Annapurna merece um livro por si só. Abz

    Resposta

  • Eduardo

    |

    Obrigado Ricardo e Javier por liderar esta fantástica iniciativa. É um prazer fazer parte do VaP e é um luxo ver o mundo e seu povo através de viajantes como você e outros convidados. Mal posso esperar para gostar de ler este primeiro livro nascido em VaP.

    Um abraço.

    Resposta

  • Javier Brandoli

    |

    Oi eduardo, obrigado por estar aqui no começo contando histórias. Em qualquer caso, agora existe uma terceira pessoa, Daniel Landa, que também liderou este livro conosco. A verdade é que este livro é o trabalho de todos aqueles que passaram pelo VaP como você. É uma maneira de agradecer

    Resposta

  • ricardo Coarasa

    |

    Obrigado Eduardo. Você faz parte do VaP da mesma maneira que somos. E Javier, Dani e eu , mais do que liderar, nos dedicamos a selecionar entre mil relatórios, Não tem sido fácil. Espero que você goste do resultado. Abz

    Resposta

  • Pablo

    |

    Haverá um ebook?

    Resposta

  • PAV

    |

    No, Paulo, por enquanto não haverá e-book. ABZ e boa sorte com seu livro!

    Resposta

  • Gerardo Bartolomé

    |

    É uma honra para mim compartilhar minhas histórias neste livro e com esses autores..
    Uma grande saudação aos meus amigos Ricardo Coarasa e Javier Brandoli. Ótima saudação porque de Buenos Aires chega a Madri.
    BEM SUCEDIDO!

    Resposta

  • Ricardo Coarasa

    |

    Honra é Gerardo recíproco. Você faz parte deste projeto desde o início e já o viu crescer. Seus relatórios sobre Darwin e Patagonia são uma referência. Boa sorte com “A conquista de Rosas”! Abz transoceânico forte

    Resposta

  • Os melhores livros de viagens para dar este Natal

    |

    […] El mundo de equipaje, VV. AA. (E. Viagem ao passado, 2014). O mundo das malas é um trabalho coral, o 27 escritores, cada um contribuindo, duas ou até três histórias, quase todos extraídos de artigos escritos para o seu site Viagens ao passado. Nem todos eles estão em grandes viagens, mas sim, algumas são tiradas de todo o mundo por Miquel Silvestre, Daniel Landa o Alicia Sornosa, que assinam crônicas bonitas, mas breves. Nem todos têm o mesmo nível, mas a soma compõe um excelente trabalho coral que reflete a melhor literatura de viagem. […]

    Resposta

  • Iria

    |

    Daniel, Você compra uma lembrança quando viaja?? Um beijo!

    Resposta

Escrever um comentário

Últimos Tweets

Não os tweets encontrado.