série do Pacífico em DVD e Blueray
El mundo de equipaje. El primer libro de Ediciones ViajesalpasadoEl Maconde Africano de Javier Brandoli. Un libro de Ediciones Viajesalpasado

Os quatro desafios do povo Rapa Nui

Para: Gerardo Bartolomé (texto e fotos)
Os quatro desafios do povo Rapa Nui
Chegamos à procura de sol e relaxamento, mas que era mais forte do que o nosso desejo de compreender o passado intrigante desta ilha enigmática. E Anakena foi onde esta história começou com a chegada dos primeiros mil anos atrás Ariki
  • Compartilhar
 

Machu Picchu: a pedra império

Para: Gerardo Bartolomé (texto e fotos)
A vista da cidade cercado por impressionante e coberto por densas encostas colinas selva não pode ser descrito com palavras simples. Antes de tentar fazê-lo eu prefiro incentivar o leitor a visitar este lugar mágico.
  • Compartilhar
 

No berço da Patagônia

Para: Gerardo Bartolomé
No berço da Patagônia
Olhei para aquele planalto. Eu não podia acreditar que havia nascido na Patagônia. Claro ... eu devo uma explicação para o leitor. Patagônia nasceu lá, mas o mito da Patagônia como um selvagem e misterioso. Eu estava em Puerto San Julian na busca, como sempre, de histórias, anedotas e selvagens. Não, contra o azul infinito do Atlântico, são dadas tanto: história e natureza.
  • Compartilhar
 
 

Puerto Hambre: Aqui foi a Espanha
Para: Gerardo Bartolomé (texto e fotos)

Puerto Hambre: Aqui foi a Espanha
Parece incrível que mais de 400 anos na fronteira continente sul-americano instalou uma colônia espanhola. Semanas ou meses de navegação perigosa separando-o de qualquer outra população onde eu poderia estocar. Pensei que isso não admira que o lugar tornou-se Puerto Hambre, nem mais nem menos do que porque os colonos morreram de fome que ....
  • Compartilhar
 

Capela Narbonne: a casa mais antiga do Uruguai
Para: Gerardo Bartolomé (texto e fotos)

Uma coisa que me chamou a atenção: Naturalista Inglês alegou ter dormido em uma grande casa que foi de cerca de cem anos de idade, quando ele passou pelo local. Raro, porque para o início do século XVIII mal tinha população Uruguai e fazendas da época eram de adobe.
  • Compartilhar
 
 

Últimos Tweets